Explicação do novo presépio da Catedral

Postado em: 09/12/2019

O MISTÉRIO DO NATAL

O Sinal Admirável do Presépio, muito amado pelo povo cristão, não cessa de suscitar maravilha e enlevo. Representar o acontecimento da natividade de Jesus equivale a anunciar, com simplicidade e alegria, o mistério da encarnação do Filho de Deus. De fato, o Presépio é como um Evangelho vivo que transvaza das páginas da Sagrada Escritura. Ao mesmo tempo que contemplamos a representação do Natal, somos convidados a colocar-nos espiritualmente a caminho, atraídos pela humildade d’Aquele que Se fez homem a fim de Se encontrar com todo o homem, e a descobrir que nos ama tanto, que Se uniu a nós para podermos, também nós, unir-nos a Ele. (Carta Apostólica Admirabile Signum – Papa Francisco, Greccio, 01/12/2019).


Contemplando o “esplendor da luz que sai do presépio”, convidamos você a um mergulho para o interior de si mesmo. Através dessa experiência mística, esperamos auxiliar você responder às suas inquietações e ajudá-lo a (re) descobrir o caminho para a alegria e à paz.  

Nos dias de hoje, nos deparamos com o vazio existencial, que se tornou uma marca e um grande desafio para a humanidade. Diante do presépio despojado, nos é proposta uma “página em branco”, a fim de que possamos escrever uma nova história. A luz de Jesus que ilumina o presépio lembra Quem nos deve atrair e nos convida a sermos Nele paz e luz para o mundo. Ser um com Deus. É ir ao encontro do Cristo que vem.

Santa Edith Stein, canonizada como Santa Teresa Benedita da Cruz, nascida em Breslau, Alemanha, hoje Wroclaw, Polônia, 1891, em sua Obra O Mistério do Natal, nos propõe uma fonte para reflexão e nos convida a abraçar a causa e a cruz d’Aquele que é Paz, que veio para nos trazer a Paz.

Trevas cobriram a terra e Ele veio como a luz, que iluminou as trevas, mas as trevas não O conheceram. Àqueles que O acolheram, Ele trouxe a luz e a paz; a paz com o Pai do céu, a paz com todos que, com Ele, são filhos da luz e filhos do Pai do céu, e a profunda paz do coração; mas, não a paz com os filhos das trevas. Para eles, o Príncipe da paz não traz a paz e sim, a espada. Para eles o Senhor é a pedra de tropeço, contra quem atacam e na qual serão destruídos. Esta é uma grande e séria verdade, que não podemos encobrir por causa do encanto poético da criança no presépio. O mistério da encarnação e o mistério do mal vão juntos. Contra a luz que vem do alto, contrasta a noite do pecado e a torna escura e tenebrosa. A criança no presépio estende as mãos e o seu sorriso parece dizer, o que mais tarde pronunciaram os lábios do Filho do Homem: “Vinde a mim todos os que estais cansados sob o peso do vosso fardo”. E aqueles que seguem o seu chamado, os pobres pastores, aos quais nos campos de Belém o resplendor do céu e a voz do anjo anunciaram a Boa Nova e que responderam confiantes: “Vamos a Belém”, e se puseram a caminho; os reis, vindos do oriente longínquo seguiram, na mesma fé simples, a estrela milagrosa para eles, através das mãos da criança, correu o orvalho da graça e eles exultaram com grande alegria. (Stein, Edith. 1999, pág. 16)


Deixemo-nos ser surpreendidos por Jesus neste Natal.


ORAÇÃO DIANTE DO PRESÉPIO


Deus de todas as nações e povos,
desde o início da criação
manifestaste Teu amor
e, quando nossa necessidade de um Salvador era grande,
enviaste teu Filho para nascer da Virgem Maria.
Para as nossas vidas, Ele traz alegria e paz,
justiça, misericórdia e amor.
 
Senhor,
abençoa todos os que olham para essa manjedoura;
que isso nos lembre do humilde nascimento de Jesus.
Eleva nossos pensamentos até Ele,
que é Deus e Salvador de todos,
e que vive e reina para sempre.
Amém.