Campanha vocacional inicia em agosto

Postado em: 02/08/2019

A Pastoral Vocacional da diocese de Caxias do Sul dá início, nesta quinta-feira, 1º de agosto, à campanha “Coragem para arriscar com Ele e por Ele”, voltada às ações de oração, formação e animação das comunidades católicas e jovens, para o discernimento vocacional. O mote, que segue até o final período, chamado Mês das Vocações, consiste na distribuição digital de materiais, artes, vídeos e subsídios para as celebrações.

O convite é para que as paróquias e os padres, em sinal de unidade, adotem a mesma imagem de capa de seus perfis e páginas no Facebook. Um jovem saltando entre duas superfícies é a ilustração utilizada para chamar a atenção das lideranças católicas e também dos vocacionados. A intenção é permitir que sejam realizadas ações que ajudem a juventude no caminho das escolhas pessoais, não somente relacionadas à vida sacerdotal ou religiosa, mas também à valorização dos seus sonhos pessoais e profissionais.

Para as emissoras de rádio, foi desenvolvido um spot de 30 segundos, para que seja utilizado ao longo da programação, como convite à reflexão sobre a felicidade proposta por Jesus e recordada pelo Papa Francisco em suas mensagens. Ao longo das quatro semanas de agosto, serão elaborados e-cards e materiais sobre a Semana Nacional da Família e as demais vocações específicas.

Semanalmente, nas redes sociais da Pastoral Vocacional, será veiculado um vídeo com o testemunho de pessoas que abraçaram as diferentes vocações e trabalham em diferentes áreas da sociedade. Neste sábado, 03 de agosto, será publicada uma produção sobre a vocação sacerdotal, no dia 10, sobre a vida familiar e matrimônio. No dia 17, a intenção é divulgar a vida religiosa e consagrada e no último final de semana de agosto, a vocação leiga e dos catequistas.

Para o coordenador da Pastoral Vocacional, padre Marciano Guerra, a campanha “Coragem para arriscar com Ele e por Ele” quer ajudar as comunidades a perceberem que a juventude busca ser feliz, mas precisa ser encorajada, incentivada para seguir o caminho vocacional. “Precisamos de padres, mas também precisamos de bons pais de família, de casais que ensinem o bem e a solidariedade, de religiosos e religiosas e de muitos leigos e leigas para continuarmos evangelizando. Todos somos animadores vocacionais, por isso precisamos de coragem para arriscar e precisamos arriscar para encorajar os jovens também”, salienta.